Você está em: agosto de 2014

Estratégia: Decidir o que não fazer e tão importante quanto decidir o que fazer

O foco é o principal driver da excelência e do sucesso

Direcionar a atenção para aonde ir é uma tarefa básica da liderança. A capacidade de dar atenção para o lugar certo no momento certo, percebendo tendências, apontando oportunidades e direcionar o foco para as coisas importantes que precisam ser feitas é uma das características das empresas vencedoras. Manter o foco é dar atenção à decisão estratégica da empresa.

No lugar de uma apresentação extensa em PowerPoint, o ideal é distribuir o material para leitura prévia e quando a equipe estiver frente a frente em reunião, possa ir direto ao ponto e fazer as perguntas que mais importam de maneira direta, em vez de fazer um caminho longo e sinuoso. É comum as pessoas desviarem a atenção do assunto que está sendo discutido quando alguém menciona algum fato em sua fala. Naturalmente, de maneira despercebida, passa a discutir o fato novo, desviando-se do assunto principal. Uma dica para manter o foco é responder à simples pergunta: Qual é o tema principal?

Os indivíduos, assim como as organizações, precisam escolher onde dedicar a atenção, e isso significa focar em poucas coisas que são realmente importantes e ignorar outras menos relevantes. A visão de longo prazo, a estratégia, as ações para alcançá-las e as metas de curto prazo devem ser o foco das organizações e das pessoas que nelas trabalham. Se o objetivo é o mercado, o foco deveria ser os clientes, os produtos e as marcas. Se o objetivo é reinventar a organização, uma cultura voltada para a inovação e que estimule a criatividade deveriam fazer parte da atenção e do foco. Se o objetivo é melhorar a lucratividade, o foco deveria ser como aumentar a produtividade, ou como fazer mais com menos.

A estratégia de uma organização representa o caminho que deve ser trilhado pela organização, com habilidade, eficiência e comprometimento de todos. Quando líderes escolhem uma estratégia, estão direcionando a atenção da equipe: para aquilo que todo mundo deveria dedicar seus esforços. Uma determinada estratégia define o que importa e o que ignorar. Decidir o que não fazer é tão importante quando decidir o que fazer. O foco é o principal driver da excelência e do sucesso.

Gabriel Silva
É Palestrante, Coach Executivo e de Carreira, ex-executivo da Nestlé Brasil e autor da metodologia e do livro
A.T.T.I.T.U.D.E. – A chave para o sucesso, publicado pela editora Matrix.

Você é o único responsável pelo seu desenvolvimento, pela sua carreira e pelo seu destino

Ninguém está feliz o tempo todo. Tem dias que parece que nada dá certo no trabalho e isso nos aborrece, nos chateia, nos entristece, pois o dia não rende. Os motivos são muitos: um colega de trabalho pode ter sido inconveniente, o seu chefe foi autoritário, o diretor cobrou um trabalho que ainda não está pronto, o seu carro teve um problema mecânico e você se atrasou para uma reunião, o seu computador deu pane, um funcionário não conseguiu terminar um trabalho importante e por aí vai. São inúmeras as variáveis para que um determinado dia seja um horror.

Esses aborrecimentos podem acontecer com qualquer profissional, em qualquer dia da semana ou do mês, sem prévio aviso. Mas para alguns profissionais, parece que nada dá certo é uma coisa rotineira e não conseguem progredir na carreira, e se tornam pessoas amarguradas, desmotivadas. O que os profissionais que se encontram nessa categoria precisam saber é que o resultado dessa situação pode estar nas suas atitudes, nos seus próprios comportamentos e, por isso, nada dá certo na carreira e a pessoa vai estar sempre infeliz profissionalmente.

Enumero 10 atitudes negativas de profissionais que parece tudo dar errado na carreira. Tais profissionais dizem com certa frequência:

  1. Não sei,
  2. Não vou fazer,
  3. Isso não é problema meu,
  4. Não tenho tempo,
  5. Não ganho prá isso,
  6. O meu chefe é que se dane,
  7. Não tenho nada a ver com isso,
  8. Por que eu? Ao invés de dizer, por que não eu?
  9. Essa mudança não vai dar certo,
  10. Essa empresa não me dá chance!

Profissionais sem comprometimento com as metas e com os objetivos da empresa, desmotivados e com atitudes negativas têm o hábito de dizer essas coisas com certa frequência. Esse tipo de comportamento demonstra total falta de interesse pelo bom desempenho no trabalho e só prejudica a carreira. Posso dizer que do lado da grandeza, da proatividade, está o sucesso. Do lado da mediocridade, o fracasso.

As empresas, a área de recursos humanos, seu mentor ou o seu gestor, pode ajudá-lo a construir uma carreira bem sucedida, mas, em última instância, você é o único responsável pelo seu desenvolvimento, pela sua carreira e pelo seu destino. Suas atitudes e suas escolhas dizem muito mais quem você é do que outros fatores de avaliação. O comprometimento mostra quem seu chefe pode confiar e investir na carreira. No meu livro ATTITUDE – A chave para o sucesso (editora Matrix), abordo sobre as limitações pessoais, as atitudes e os comportamentos que todo profissional deve abolir para ser bem-sucedido na carreira.

Gabriel Silva

É Palestrante, Coach, ex-executivo da Nestlé Brasil e autor da metodologia e do livro A.T.T.I.T.U.D.E. – A chave para o sucesso, publicado pela editora Matrix.