Você está em: março de 2014

O que nos resta esperar de 2014?

O Carnaval acabou é como diz o ditado popular, no Brasil o ano só começa depois do Carnaval. Então, Feliz 2014! Finalmente o ano começou de verdade. Mas já estamos em março. Em abril tem o feriado prolongado de Páscoa e Tiradentes. O 1º de maio – dia do trabalho, será numa quinta-feira. Em junho tem a Copa do Mundo. Em outubro tem as eleições e em novembro, provavelmente, teremos o segundo turno das eleições para presidente e finalmente, chegou dezembro, dia de Natal, quinta-feira, feriadão prolongado.

A economia brasileira vai continuar fraca, com a taxa de juros na casa dos 11%, o dólar subindo e os preços lá em cima, nas alturas. A educação e a saúde continuam com péssima avaliação da sociedade. A Petrobras vair continuar com problema de caixa para bancar os bilionários investimentos do pré-sal, a Eletrobras – também controlada pelo governo, vai continuar dando enorme prejuízo, e, finalmente dezembro está logo ali. Lamento dizer, mas 2014 já era!

Deixando de lado o fraco desempenha da economia e os eventos esportivos e políticos, voltamos a pergunta inicial: o que nos resta esperar de 2014? Se você ainda pretende salvar o ano e cumprir suas metas de 2014, sugiro a você quatro atitudes:

  • Mantenha o foco em suas metas de curto prazo: Metas fazem maravilhas, desde que você dê foco e entre em ação para cumprí-las. O cenário econômio realmente está bastante adverso, mas você não pode desistir. Entre em ação!
  • Amplie suas fronteiras: No meu livro A.T.T.I.T.U.D.E – A chave para o sucesso e em minhas palestras sobre carreira abordo a importância de participar de novos projetos e novas iniciativas da empresa para ampliar suas fronteiras do conhecimento para desenvolver novas competências e aumentar sua visibilidade. Sempre há uma oportunidade ao seu redor. Levante a mão e saia de sua zona de conforto!
  • Gestão do tempo: A correria do dia a dia nos leva a direcionar nosso tempo para as questões urgentes, algumas importantes, outras pouco importantes e de baixo valor para seus objetivos. O segredo de uma boa utilização do tempo é direcionar uma parte do nosso tempo para as coisas importantes, porém não-urgentes, como o planejamento, a organização, o desenvolvimento pessoal e na melhoria da qualidade de vida.
  • Invista em seus conhecimentos: faça um MBA ou um curso rápido na sua área, ou ainda um curso de línguas. As empresas valorizam o profisional que investe em sua formação alinhada com as necessidades da organização. Quando a economia finalmente decolar, você precisa estar preparado!

Boa sorte! E sorte é o que acontece quando a preparação encontra a oportunidade.

Como saber se sua independência financeira foi alcançada?

O sonho de muitas pessoas é conquistar a independência financeira, ter o futuro garantido e gozar de uma aposentadoria tranquila. Com a situação financeira planejada e equilibrada, percebemos o quanto podemos ganhar em termos de qualidade de vida. Temos mais tranquilidade para dar foco em nossos objetivos pessoais e profissionais, curtir melhor a vida e a família, sem sobressaltos e tempestades com contas vencidas e credores rondando a nossa volta.

Mas quanto uma pessoa deve possuir para saber se conquistou sua independência financeira? É investir em um negócio próprio? Investir em imóveis para alugar?  Ou investir em uma pequena propriedade para evitar a desvalorização do bem e do próprio patrimônio? As estatísticas mostram que muitas empresas fecham as portas nos primeiros anos de vida. Portanto, investir recursos em um negócio próprio requer análise de seu perfil empreendedor, dos riscos do negócio e deve ser analisado com muito cuidado.

Mas voltando a pergunta central deste artigo, como saber se uma pessoa conseguiu sua independência financeira, existe uma continha aceita internacionalmente que diz que uma pessoa consegue sua liberdade financeira com um patrimônio com liquidez igual a 200 vezes os seus gastos mensais. Então, se uma pessoa tem despesas mensais de 5 mil reais, deve ter um patrimônio de um milhão de reais. Se a pessoa tem gastos mensais de 10 mil reais, precisa de liquidez de dois milhões de reais e se gastos mensais forem de 15 mil reais, terá de acumular três milhões para conseguir sua independência financeira.

Mas isso não significa dizer que a pessoa deve sair gastando de maneira impensada. Paulinho da Viola, poeta e compositor, diz na letra da música “Pecado Capital”, “que dinheiro na mão é vendaval na vida de um sonhador. E que tanta gente se engana e cai na dança de tanta ilusão que sonhou….”. Por isso, muitos sortudos ganhadores da mega-sena perderam tudo por falta de planejamento e atitudes impensadas. O meu conselho é: cuide bem do seu dinheiro!

Mas ao atingir esse ponto, de acumular financeiramente 200 vezes os seus gastos mensais, terá conquistado sua liberdade financeira e poderá escolher o que deseja fazer, realizando os sonhos e projetos que sempre imaginou com tranquilidade, como viajar, conhecer outros países e culturas e ter uma aposentadoria tranquila sem depender dos filhos. Tenha o controle de suas finanças pessoais em suas mãos. A disciplina e a estratégia de investimento é o que faz a diferença na construção de um patrimônio.

3 fatores-chave de sucesso das finanças pessoais: planejamento, disciplina e autocontrole

A administração das finanças pessoais é imprescindível para o sucesso pessoal e profissional de qualquer pessoa. Não há quem possa viver em paz com contas vencidas, cheques pré-datados, cartão de crédito atrasado e o limite do cheque especial estourado. Sabendo disso, e livrando-se dos problemas financeiros, nos regeneramos e percebemos o quanto podemos ganhar com isso. Com uma vida financeira equilibrada, temos mais tranquilidade para dar mais foco em nossos objetivos pessoais e profissionais e planejar o futuro.

Para lidar com as finanças pessoais há 3 etapas que precisam ser colocadas em prática: planejamento, disciplina e autocontrole. Mas todos nós temos boas razões para justificar tantos gastos, que nos deixam sempre numa situação critica financeiramente. Afinal, somos seduzidos por vitrines vistosas, sapatos, bolsas, roupas de grife que “são a nossa cara” e as infindáveis datas comemorativas: aniversários, dia das mães, dia dos pais, Páscoa, dia das crianças, dia dos namorados e tantas outras. Sem falar as viagens de férias, que sempre custam um pouco mais do esperávamos.

Quando pensamos estar numa situação de equilíbrio financeiro, sempre aparece algum gasto extra, como a roupa nova para uma festa de casamento, o IPVA do carro, O IPTU, o imposto de renda, e por aí vai. O fato é que passa ano, sai ano, vivemos sempre a beira do abismo, nos esperneando para controlar nossas finanças e, cada vez mais, longe do sonho da casa própria ou do apartamento na praia, e da tão sonhada independência financeira.

A estabilidade da moeda e da economia foi uma conquista importante para o Brasil, e para aproveitar esse ambiente, é preciso planejar. Muitas pessoas acreditam que para ter um patrimônio é preciso ter sorte, ganhar na loteria ou receber uma herança. Mas normalmente isso não é necessário. É possível construir um patrimônio com seus próprios rendimentos e provavelmente você já tem o que é preciso para construir sua própria fortuna. Falta tomar uma atitude: poupar e investir sempre, com uma estratégia clara, planejamento e disciplina.

Ao compreender a importância do planejamento financeiro e as perspectivas que podemos ter em nossas vidas, se formos fiéis aos nossos sonhos e objetivos, é possível pavimentar a estrada da independência financeira, basta saber lidar com o dinheiro. A Attitude Coach dispõe de uma metodologia com 10 passos para ajudar você definir as melhores estratégias e planejar a sua independência financeira com segurança e tranquilidade.

A transição de carreira deve ser bem planejada

A mudança de rumo na carreira pode acontecer por vários motivos: devido a falta de plano de carreira, busca por melhor salário, por insatisfação no trabalho, para migrar para outro segmento de mercado, voltar a morar perto da família, trabalhar como profissional autônomo, montar uma consultoria empresarial ou abandonar o mundo corporativo e abrir o próprio negócio. As razões são inúmeras e variadas e cada uma delas têm suas próprias motivações.

Qualquer que seja o motivo para uma transição de carreira, a mudança deve ser bem planejada, principalmente, em relação a parte financeira. Quando se trata de cargos executivos, a transição de carreira torna-se mais arriscada. Deixar um emprego com um bom salário e benefícios como carro, telefone celular, plano de saúde e bônus anual, exige muita cautela e um bom planejamento, principalmente o planejamento financeiro. É preciso colocar tudo na ponta do lápis e elaborar um fluxo de caixa detalhado para evitar surpresas.

Os profissionais que desejam migrar para outro setor, outro passo fundamental é avaliar bem o novo setor com antecedência. É preciso saber as competências e habilidades requeridas no novo setor, como por exemplo, sair do setor bancário para a indústria, da indústria para o varejo ou para o setor de serviços, requerem competências e habilidades diferentes. Fazer uma autoavaliação de suas competências ou solicitar um coach executivo ou de carreira para ajudá-lo no processo pode ser uma boa ideia.

Outra medida necessária é reduzir os gastos. A fatura do cartão de crédito, as despesas com viagens, jantar fora e os gastos supérfluos devem ser reduzidos drasticamente para minimizar a pressão sobre sua reserva financeira e você se sentir mais tranquilo e mais seguro durante o período de transição para a nova carreira. Outro ponto importante é que sua reserva financeira deve ter liquidez. Não adianta ter um patrimônio todo em imóveis que proporcionam segurança mais não têm liquidez de curto prazo.

Para os profissionais que pretendem abandonar o mundo corporativo para montar seu próprio negócio, o planejamento financeiro deve começar com bastante antecedência, pois além das despesas pessoais e familiares durante o período de transição, há o investimento inicial no empreendimento e o prazo para o negócio começar a dar resultados. A Attitude Coach possui ferramentas e metodologias para ser seu parceiro no período de transição de carreira, para assessorar na elaboração do fluxo de caixa e para avaliar seu perfil empreendedor. Conte conosco!

Os hábitos e comportamentos indesejáveis

O mundo está cheio de pessoas talentosas, inteligentes, com boa formação acadêmica, mas que não conseguem progredir na carreira. Por que isso acontece? O sucesso na carreira é uma jornada, uma caminhada, não um ponto de chegada. É uma trilha que precisa ser percorrida com autoconfiança, autoconhecimento, persistência e automotivação. O sucesso na carreira é uma questão de mérito individual, fruto de nossas atitudes e de nossas próprias escolhas.

Aprender a identificar os problemas e a responder de forma rápida para limitar os danos e resgatar nossos esforços pode ser, em última instância, o fator determinante do sucesso na carreira. O autoconhecimento é fundamental nesse processo. Conhecer nossas limitações, saber identificar nossos hábitos e comportamentos inadequados, nossas limitações pessoais e saber receber feedback pode ser um caminho virtuoso para que possamos desviar dos obstáculos encontrados em nossa trajetória profissional.

Hábitos são padrões de comportamento que se tornam automáticos em função de sua frequência e repetição constantes. Depois de certo tempo, se torna extremamente difícil mudá-los, pois nos dominam e nos deixam expostos, aborrecidos e até infelizes. Alguns hábitos são totalmente inadequados, inapropriados, e se tornam um obstáculo para o crescimento da carreira profissional e até nos relacionamentos pessoais e familiares. As pessoas com hábitos indesejáveis afastam os colegas e cada vez mais se sentem sozinhas e isoladas.

No livro A.T.T.I.T.U.D.E. – A chave para o sucesso, de minha autoria, publicado pela editora Matrix, abordo os dez principais hábitos, comportamentos e atitudes indesejáveis e prejudiciais ao desenvolvimento pessoal e ao crescimento profissional. Tais hábitos e comportamentos limitam e até impedem a construção de uma carreira profissional bem-sucedida.

O primeiro comportamento que menciono no livro é a falta de comprometimento. Entregar projetos e trabalhos fora do prazo rotineiramente, não ter compromisso com a qualidade, com as metas e com os resultados estão entre os comportamentos que mais prejudicam a evolução da carreira profissional. As pessoas que se esforçam e se dedicam com entusiasmo em seu trabalho tem maiores chances de conseguir sucesso pessoal e profissional. Outro comportamento inadequado que abordo no livro é a procrastinação.